Sobre o velho balcão de madeira, a quase quinquagenária balança “Filizola”, nos transporta para a década de 70, onde Dona Odete Ferreira e Sr. José Geraldo da Silva “Sô Neguinho”, então casados e com seis filhos, moravam em Garças, município de Iguatama e vieram para Arcos, montar aquela que foi uma das mais conhecidas mercearias da cidade e que, décadas depois se reinventa e se mantem em atividade, colecionando clientes e amigos.

Garças de Minas... lá o jovem casal havia aberto seu comércio, onde tinham bar, restaurante e hotel, perto da rede ferroviária, que até então era por onde grande parte das mercadorias chegavam às cidades.

A vontade de empreender e de dar uma condição de vida melhor aos filhos, tomou um novo rumo no ano de 1979.

Dona Odete resolveu vir para a cidade de Arcos com suas duas filhas mais velhas para abrir um armazém na cidade.

Continua após a publicidade

Assim, nasceu o “Armazém do Sô Neguinho”.

Provando mais uma vez, que ao lado de um grande homem, sempre há uma grande mulher, a guerreira Dona Odete mesmo com todos os afazeres do dia a dia de uma casa, cuidava dos filhos com muito amor e carinho e também tomava conta do armazém, prestando suporte ao “Sr. Neguinho” que ficava em Garças, cuidando dos outros comércios.

Dona Odete percebeu que as coisas em Arcos melhoravam e começou a mudança aos poucos junto com seus filhos, até que tempo depois, todos vieram em definitivo para morar na Capital do Calcário.

Continua após a publicidade

Quando o "Armazém Sô Neguinho" se fixou em definitivo em Arcos, a cidade ainda era pequena, estrada de chão e com poucas casas, principalmente no Bairro São Judas, local onde o "Armazém Sô Neguinho", fez sua fama, tornando-se conhecido em todo o município.

Ao longo dos anos, vieram os outros filhos e “Sô Neguinho" começou a instruir seu filho mais novo sobre o funcionamento do Armazém, até que em 1987, o jovem Marcelio já estava à frente do negócio.

Novos tempos

Continua após a publicidade

 Em 2008, Marcelio casou-se com Sara e a partir de então, tomou frente e expandiu o negócio.

Hoje o armazém que era situado à Rua Manuel Fernandes Nogueira n°76, passou para um cômodo maior em frente.

Sara e Marcelio junto com seus filhos Rafael, Gabriel e Letícia iniciam mais uma jornada empreendedora com o armazém ampliado, porém mantendo sempre o bom atendimento e aquele “ar de interior”.

Continua após a publicidade

O antigo local (em frente) está em reforma para brevemente continuar com o barzinho do “Sô Neguinho”.

Segundo Sara a boa e velha caderneta ainda tem vez no Armazém:

“Temos ainda os bons clientes de "caderneta", continuamos com algumas lembranças, sendo o balcão, algumas prateleiras antigas, nunca deixando que a tradição acabe, mas sempre inovando, temos de tudo um pouco para atender a todos os clientes.”

Infelizmente, “Sô Neguinho” nos deixou em 2017, deixando um vazio em amigos e familiares, porém, seu legado de histórias e lutas se mantem vivo na memória de todos aqueles que tiveram a grata alegria de conviver com um ser humano à frente de seu tempo.

Vale a pena conhecer o “Armazém do Sô Neguinho”, situado à Rua Manuel Fernandes Nogueira, logo no início do Bairro São Judas em Arcos.